Bailarinos são geneticamente diferentes do resto de nós

O que faz os bailarinos diferentes do resto de nós? variações genéticas, diz um pesquisador da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Em um estudo publicado na PLoS Genetics, Richard P. Ebstein Professor do Departamento de Psicologia e de seus associados de pesquisa têm mostrado, através do exame de DNA, que os bailarinos apresentam diferenças consistentes em dois genes chaves na população geral. Ebstein é o chefe do Centro de Genética Humana Scheinfeld em Ciências Sociais do Departamento de Psicologia.


Duo Cia de Dança (Brasília) espetáculo La Belle. Bailarinos: Pedro Dalvi e Vivian Salles

Esta conclusão não é surpreendente, diz Ebstein, tendo em vista outros estudos de músicos e atletas, que também têm mostrado diferenças genéticas.

Ebstein e seus colegas encontraram em um exame de 85 bailarinos e alunos avançados de dança em Israel variantes de dois genes que conferem o código para o transportade de serotonina e 1 receptor da arginina vasopressina.

Ambos os genes estão envolvidos na transmissão de informações entre células nervosas. O transportador da serotonina regula o nível de serotonina, um transmissor cerebral que contribui para a experiência espiritual, entre muitos outros traços comportamentais. O receptor da vasopressina foi demonstrada em estudos realizados em diversos anim

ais para modular a comunicação social e comportamentos de vínculo de filiação. Ambos são elementos envolvidos na humana velhice na expressão social da dança.

A evidência genética foi confirmada por dois questionários distribuídos pelos pesquisadores para os dançarinos. Um deles é o Tellegen Absorção Scale (TAS), que correlaciona os aspectos da espiritualidade e estados alterados de consciência, e o outro é o Tridimensional Personality Questionnaire (TPQ), uma medida da necessidade de contato social e abertura à comunicação.

Os resultados genéticos e questionário dos bailarinos foram comparados com os dos outros dois grupos analisados – atletas, bem como aqueles que eram ambas não-bailarinos e não-atletas. (Os atletas foram escolhidos por comparação, uma vez que exigem uma boa dose de resistência física, como bailarinos).

Distribution of Tellegen Absorption Scale (TAS) in Female Dancers and Nondancers/Nonathletes.

Quando os resultados foram combinadas e analisadas, foi evidenciado que os dançarinos apresentaram determinadas características genéticas e de personalidade que não foram encontrados nos outros dois grupos.

O “tipo” bailarino , diz Ebstein, demonstra claramente as qualidades que não são necessariamente falta, mas não são tão fortemente expressos em outras pessoas: um elevado senso de comunicação, muitas vezes de natureza simbólica e cerimonial, e um traço forte de personalidade espiritual.

Outros envolvidos na pesquisa com Ebstein foram o seu estudante em doutoramento Rachel Bachner, Melman, bem como investigadores adicionais de Israel e da França.

Crédito: science20.com/Join the revolution

Clique aqui para ler a versão na íntegra da publicação em inglês

——————————————————————————————

A QUEM INTERESSAR…


Espetáculo Duo Cia de Dança

Teatro da Caixa

Dia: 08/10/2010

Horário: 20h

Ingressos à venda na bilheteria do Teatro da Caixa- SBS Qd. 4 Lote 3/4

R$20 a inteira e R$10 a meia.

Informações: (61)3414-9448

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s