Milonga Bajo La Luna

Um salve para os apreciadores de tango em Brasília. Com a adesão, a Milonga Bajo La Luna agora vira evento contínuo. Todas as quartas, das 18h às 20h. Entre o Museu Nacional e a Biblioteca Nacional. A proposta é da professora Sther Lobo, com a colaboração de João Carlos Corrêa. Popularizar o tango, proporcionar cultura e acesso ao ritmo rioplatense.

 O evento é gratuito. Separe os sapatos velhinhos e leve água para se refrescar.

Informações: Sther Lobo (61)78167-0441.

Apoio: blog tango candango

   Te esperamos. Abraços!

Símbolo da cidade, Obelisco de Buenos Aires completa 75 anos

Foto: Divulgação

 

Buenos Aires, 23 mai (EFE).- O Obelisco de Buenos Aires completou 75 anos nesta segunda-feira com uma cerimônia de homenagem aos pés do monumento que, ao longo de sua história, já esteve a ponto de ser demolido e atualmente é um dos principais cartões-postais da cidade.

 Um show de tango do cantor Raúl Lavié e a reposição de quatro placas do monumento são as atrações da homenagem realizada na praça localizada na Avenida 9 de Julio, onde está erguido o Obelisco, inaugurado no dia 23 de maio de 1936.

Participaram da cerimônia familiares do falecido arquiteto Alberto Prebisch, responsável pela obra de 67,5 metros, que em 1939 quase foi demolido devido a uma resolução aprovada pelo Conselho Deliberativo da cidade que, posteriormente, foi vetada pelo então prefeito.

 O Obelisco deixou então de ser considerado um trambolho que dificultava a circulação para se transformar em um símbolo portenho, já enfeitado de árvore de Natal, iluminado por cores diversas e até coberto por um preservativo gigante durante uma campanha contra a aids.

“Muita gente me diz que queria entrar no Obelisco para saber como é. Eu gostaria que as pessoas pudessem subir até seu topo”, declarou ao jornal “La Nación” o ministro de Espaço Público de Buenos Aires, Diego Santilli.

A única maneira de subir ao cume do monumento, algo não permitido ao público, é por meio dos 206 degraus que conduzem a quatro pequenas janelas, de onde se pode observar a extensão da cidade. “Havia gente que dizia que o Obelisco não resistiria aos fortes ventos e às vibrações do metrô e, após 75 anos, ele suportou isso e até terremotos”, afirmou ao jornal “Tiempo Argentino” Alejandro Prebisch, filho do arquiteto que desenhou o monumento.

Crédito: EFE/Uol Notícias

Exibição de tango em São Caetano, São Paulo

Nota divulgação:

Tango Adeus
Dança – Dentro da mostra ABCDança, o bailarino Luis Arrieta mostra o tango não somente como tradicional dança portenha, mas linguagem intrínseca à alma de Buenos Aires. Trata-se de apresentação solo.
Sexta-feira, às 20h. No Teatro Santos Dumont – Avenida Goiás, 1.111, São Caetano. Tel.: 4469-1200. Grátis.

Crédito: Diário do Grande ABC

Tango no banheiro

Já pensou dançar tango dentro do banheiro? Inusitado o vídeo.

Descrição: Do filme “Dos Ambientes” dirigido por Rodrigo Pardo, com Cristina Cortes e Rodrigo Pardo. Camera e edição : Guiye Fernandez

Gostou?

Não para por aí. Olha esse outro. O banheiro virou vitrine em Pallermo, Buenos Aires.

Todos Os Sons

Data: 22/05/2011 | Horário: 17:00 | Local: Área externa do Centro Cultural do Banco do Brasil Brasília

Série de shows ao ar livre começa misturando jazz, o novo tango argentino, samba de gafieira e ritmos brasileiros de raiz *Show traz pela primeira vez a Brasília o som do grupo argentino Escalandrum, liderado pelo neto do mestre Astor Piazzola

*Gafieira em Concerto e Pé de Cerrado prometem colocar todo mundo pra dançar

 Vai começar a série de shows com que o Centro Cultural Banco do Brasil presenteia os brasilienses anualmente. E começa em altíssimo estilo. Desfilarão pelo palco do projeto TODOS OS SONS – DOMINGO CCBB, a partir das 17h do próximo dia 22 de maio, os grupos brasilienses Gafieira em Concerto e Pé de Cerrado e o argentino Escalandrum, que traz pela primeira vez à cidade seu som original de fusão do jazz com o novo tango criado por Astor Piazzola. Um Concerto com toda a diversidade e o talento que caracteriza o projeto.

 Um convite para um fim de tarde regado a música e diversão, a céu aberto e com lua cheia.

 A curadoria é de Bia Reis e Guilherme Reis, que também faz a direção geral. A entrada é franca. Até setembro, serão cinco grandes concertos, apresentando o que há de melhor na música de Brasília, em conjunto com grandes atrações nacionais e internacionais.

Os shows acontecem sempre na área externa do CCBB, num grande palco especialmente montado para o evento. Quem acompanha o projeto já teve oportunidade de assistir a apresentações antológicas como a que reuniu o maestro e pianista congolês Ray Lema e o brasileiro Chico César, o Quinteto Hamilton de Holanda e o show memorável de Goran Bregovic e sua Orquestra para Casamentos e Funerais (realizado em parceria com o CENA CONTEMPORÂNEA – Festival Internacional de Teatro de Brasília). Este ano, o projeto promete mais doses de boa música. A cenografia e a direção de arte geral do projeto são de Dalton Camargos.

 OS ARTISTAS

 GAFIEIRA EM CONCERTO

 Criado em 2009, GAFIEIRA EM CONCERTO nasceu com o objetivo claro de recriar o clima das grandes gafieiras do passado, como a carioca Estudantina. Para isso, recupera o repertório clássico de composições assinadas pelos grandes Noel Rosa, Adoniran Barbosa, Ary Barroso, Chiquinha Gonzaga, Ataulfo Alves e outros, com uma roupagem mais contemporânea. Apresenta também versões para músicas de compositores contemporâneos, como Nelson Cavaquinho, Eduardo Neves, Djavan e Jorge Aragão, além de mostrar composições próprias. Tudo isso com uma improvável mistura de formação clássica do samba (violão 7 cordas, cavaquinho e percussão) com naipe de metais em estilo jazzístico (sax alto, sax tenor, trompete e clarineta). Uma cantora popular faz a ligação da música instrumental com a canção e o clima esquenta com a presença de um casal de dançarinos que faz uma demonstração do samba de gafieira.

O nome GAFIEIRA EM CONCERTO remete a uma oficina de arranjos, com criatividade, balanço e garantia de muita diversão. A formação do grupo inclui Nelsinho Serra (cavaco e arranjos), Thiago Fernandes (clarineta e saxofone), Carlos Cárdenas (saxofone tenor), Westonny Rodrigues (trompete), Felipe Pessoa (violão 7 cordas), Junior Viegas (percussão), Gabriel Carneiro (percussão) e Anna Christina (voz).

PÉ DE CERRADO

Grupo criado em 1999, com foco na pesquisa e divulgação dos ritmos musicais tradicionais brasileiros e que tem hoje uma legião de admiradores das mais variadas faixas etárias, entre crianças, jovens e idosos. Tudo começou quando seis amigos decidiram juntar seus dons musicais e seus gostos pelas culturas regionais. Surgia o PÉ DE CERRADO, com um interesse musical que vai do coco ao maracatu, baião, frevo, xote, chorinho e samba, além da dança, teatro, circo, cantos indígenas e brincadeiras típicas do folclore brasileiro. Um grande leque de manifestações culturais, enraizadas nas terras brasileiras. Influenciados por grandes nomes da msica instrumental e nordestina, como Antônio Nóbrega, Hermeto Pascoal e o mestre Luiz Gonzaga, os músicos são conhecidos por propor interatividade com o público, colocando todo mundo pra dançar. Em 2005, lançaram o primeiro CD, que leva o nome da banda, com a participação especial do grande Dominguinhos.

Em 2010, o mais recente, Cultura Candanga. O PÉ DE CERRADO é formado por Pablo Ravi (sanfona e voz), Rafael Black (zabumba e bateria), Bruno Berê (violão, percussão, voz e flautas), Fernando Fernandes (baixo e percussão), Pablo Fagundes (gaita, flauta transversal e voz) e Bruno Ribeiro (violão, percussão e voz).

 ESCALANDRUM (ARGENTINA)

Sexteto de jazz com mais de dez anos de experiência, cinco CDs lançados e reconhecimento internacional como responsável por fazer uma das mais originais e talentosas fusões do jazz com o novo tango, o ESCALANDRUM faz sua estréia em Brasília. O grupo foi criado e é liderado pelo neto de Astor Piazzola, Daniel Pipi Piazzola, que ao contrário do que muita gente possa pensar, não é bandoneonista como o avô e sim baterista – e um dos melhores do jazz contemporâneo. Para o show em Brasília, ESCALANDRUM traz uma homenagem a Astor Piazzolla, tocando um repertório que inclui algumas das maiores composições do criador do Novo Tango. Daniel e seus parceiros apresentam diferentes arranjos para clássicos como “Adiós Noniño” ou “Fuga nº 9. O grupo imprime nas peças uma abordagem jazzística, sem comprometer sua essência. Como na misteriosa “Buenos Aires Hora Zero”, que ganhou uma introdução com ruídos e cacofonias tipicamente urbanas. Ou em Libertango, recheada por um solo bem jazzístico do sax alto Damián Fogiel. Os membros do Escalandrum são músicos aclamados: Daniel “Pipi” Piazzolla (bateria), Nicolas Guerschberg (piano), Mariano Sivori (baixo), Gustavo Musso (sax alto e soprano), Damian Fogiel (sax tenor), Martin Pantyrer (sax barítono e clarinete baixo). Informações: (61) 3310. 7087

Serviço: A entrada é franca.

Crédito: Site Cerrado Mix

La Milonguita nesta sexta-feira

O fim de semana em Brasília vai estar repleto de tango. Na sexta-feira (20) a tradicional La Milonguita abre a agenda de eventos.

Para quem ainda não conhece a milonga é realizada no Ayala Café, nas dependências do Hotel Sonesta. Próximo ao Brasília Shopping, no Setor Hoteleiro Norte.

A entrada custa R$15.

Ambiente decorado, piso de madeira e equipe de cavalheiros própria.

Tradicionalmente, às 19h30 aula com o amigo Rodrigo Mendes. A partir das 20h30 milonga.

Até lá!!