Bsb: Nova Milonga

Neste domingo (27) vamos inaugurar a Milonga Tango Candango. Finalmente, depois de mais de um ano de idealizações decidi colocar em prática o desejo de proporcionar um espaço gostoso para dançarmos este ritmo. Com o direito a acerto e erros faremos os ajustes necessários com o tempo.

A proposta inicial era trazer o baile em um ambiente diferenciado, que pudesse chegar a outros lugares. Um espaço que fosse uma interferência na nossa cidade, Brasília. Para que a gente reunisse os já aficcionados pelo ritmo e as pessoas que não tiveram a oportunidade de ouvir um tango por inteiro. Tentei diversas vezes apoio, mas sem sucesso!

Mas graças a insistência, colaboração e esforço de amigos da dança esta perspectiva já tomou forma. Como a milonga Bajo La Luna – organizada pela professora Sther Lobo- que está temporariamente suspensa por causa das chuvas.

A Milonga Tango Candango será no Colégio Cresça, como era organizada a milonga Entre Sueños. Das 20h até 00h. Teremos tangos nuevos além dos tradicionais tangos, vals e milongas. Nas cortinas, vamos desfrutar dos ritmos brasileiros, como bolero, samba e forró.

Muitos vão torcer o nariz por causa dos tangos “nuevos” ou eletrônicos. Acho que uma milonga com tango nuevos não mata ninguém, certo?! É bom diversificar. Trazer novas opções! Também acredito que possamos atrair um público mais jovem, que fazem aulas nas academias de dança e não frequentam as milongas por não se sentirem “convidados”.  Falo aqui no blog porque já recebi e-mails e comentários de alguns jovencitos pedindo por outros tangos.

Nesta primeira edição vou sortear uma cortesia em agradecimento pelo seu prestígio e confiança. Espero todos vocês lá! De antemão, quero agradecer a acolhida da amiga Consuelo Carvalho, proprietária do colégio Cresça. Primeiro por abrir as portas do seu espaço para nos receber e em segundo lugar por acreditar nessa dança!

Milonga Tango Candango

Domingo (27/11)

Horário: 20h até ooh.

Local: Colégio Cresça – SGAS 703/903

Entrada: R$ 15

Musicalização: Oscar Ricarte.

Informações: Julita Kissa (61) 8122-4250.

Apoio: Colégio Cresça.

Bsb: Curso de tango com o argentino Claudio Rodriguez

Fico muito feliz de ver que outras pessoas estão se mobilizando para disseminar o tango em Brasília. Especialmente quando se trata de jovens apaixonados por este ritmo.

 Neste próximo fim de semana haverá um curso de tango com o argentino Claudio Rodriguez. A iniciativa de trazer o profissional para cidade foi de Larissa Chaperman, professora da Academia André Barcellos. Serão dois dias de aulas, sábado (26) e domingo (27).

Abaixo você verifica a grade horária. Infelizmente, ainda não tenho detalhes de valores. Mas se estiver interessado em aproveitar a oportunidade para fazer aulas entre em contato com a organização. Informações no cartaz acima.

Bsb: Ciao Amore

 

É com muito prazer que convidamos vocês para o nosso último Ciao Amore do ano.
Contamos com a presença de todos vocês para deixarem o nosso baile ainda mais bonito e divertido.
E para você que não conhece o nosso baile, não fique de fora dessa.

Data: 20/11/2011
Endereço: QI 15 Bloco G sobreloja Comércio Local – Lago Sul
Início do evento: 19h
Das 19h às 19:30 Aula de West Coast Swing
Das 19:30h às 20:30h – Tango e Milonga
Obs: West coast nas cortinas
Das 20h às 00:00 – Ritmos variados (Samba, Bolero, Swing, Forró, Fox Trot, Cha Cha Cha e outros).

Entrada:Feminino e masculino – R$ 20,00
Obs: Dançarinos contratados – R$ 10,00

Com Tapiocas saborosas da Tati Buffet

Informações:
Kleber Santana – (61)8219-3776
Thiago Brito – (61) 8426-4174


RJ: LiberTango gratuito na Academia Brasileira de Letras

 

A Academia Brasileira de Letras (ABL) promove na próxima quinta-feira (24) às 17h30, um concerto gratuito do grupo LiberTango, considerado um dos melhores grupos de tango do Brasil. O repertório é baseado nas intepretações dos consagrados compositores Astor Piazzolla e Carlos Gardel. A apresentação será no auditório Rui Magalhães Júnior, na sede da ABL no Rio de Janeiro. A entrada será liberada por ordem de chegada, não haverá distribuição de senha. O auditório tem capacidade máxima para acolher 300 pessoas.

Depois de bater recorde de público no Teatro Carlos Gomes, dentro do Projeto 7 em Ponto, o LiberTango sobe ao palco novamente com músicas de seu terceiro e mais novo disco, “Porteño” (Delira, 2010), em que incorpora pela primeira na trajetória do grupo o tango tradicional, com peças inesquecíveis de Carlos Gardel como “El Día que me Quieras” (parceria com Alfredo Le Pera e Juan Carlos Calderon), “Por una Cabeza” (com Alfredo Le Pera) e “Mano a Mano” (com José Razzano e Celedonio Flores).

Já o repertório instrumental consagra as quatro estações de Piazzolla, “Primavera Porteña”, “Verano Porteño”, “Otoño Porteño” e “Invierno Porteño”. Outro sucesso revisitado do compositor argentino é “Adiós Nonino”. O concerto também relembra sucessos dos outros dois discos do grupo, “LiberTango – A Música de Astor Piazzola” (Delira, 2005), e “Cierra tus Ojos y Escucha” (Delira, 2008).

O LiberTango é formado pelo cantor Marcelo Rodolfo, pelos irmãos Alexandre Caldi (saxofones e flauta) e Marcelo Caldi (acordeon) e pela pianista Estela Caldi, mãe dos dois instrumentistas. Além do vínculo familiar e afetivo que reúne o quarteto, os músicos compartilham da mesma paixão pelos ritmos portenhos, os quais têm divulgado no Brasil há mais de 15 anos, fortalecendo o diálogo cultural entre os países da América do Sul. A qualidade e a criatividade dos arranjos, assinados pelos irmãos Caldi, por sua vez, demostram a vitalidade do espírito tangueiro na música brasileira.

A série Música de Câmara na ABL tem a coordenação geral do acadêmico e musicólogo Luiz Paulo Horta e a programação e produção artística de Nenem Krieger. A apresentação do LiberTango é a penúltima da série anual, que se encerra em 1º de dezembro. É a chance do público reviver um ritmo recheado de magia, paixão, nostalgia, força e exuberância. Participação do contrabaixista Rodrigo Villa.

Serviço:

Concerto do Grupo LiberTango

Homenagem a Piazzolla e a Gardel

dia 24/11, quinta-feira, às 17h30
Teatro R. Magalhães Jr.

Academia Brasileira de Letras – ABL

Avenida Presidente Wilson, 203
Centro, Rio de Janeiro – RJ
Entrada Franca, por ordem de chegada

(não haverá distribuição de senhas)

Lotação: 300 lugares

Mais informações: Academia Brasileira de Letras

Site: www.grupolibertango.com

Solte a música

Eu prometi e aqui estou para compartilhar com vocês um pouco da experiência de fazer o curso com Sebastian Arce e Mariana Montes.

O último curso em São Paulo foi em 2009. À época não consegui liberação no trabalho. Alguns amigos daqui de Brasília conseguiram conciliar a agenda profissional, voltaram extasiados. Lessa, Isolda, Cacá, Marcelo, Rodrigo, Cléa, Anna Elisa foram alguns dos que representaram o público tanguero da nossa cidade.

No início deste ano, o casal esteve em Caxias do Sul para participar de um Festival chamado Tango Gaúcho. Não tive oportunidade de comparecer, pois a pouco havia retornado de um congresso de tango realizado em Florianópolis. Haja dinheiro e folga para permitir tanta overdose de tango Brasil afora.

Finalmente, no último minuto do segundo tempo consegui parceiro para fazer as aulas. Acontece que as inscrições eram permitidas apenas para casais. Quem tivesse desacompanhado teria que fazer com um dos bolsistas do Dançata e de quebra, arcar com as despesas.

Não gosto da ideia de pagar para alguém dançar comigo. Nada contra quem contrate profissionais de dança para acompanhar nos bailes. Imagine! Acho que cada um faz o que melhor lhe convém. Por causa disso corri o risco de mais uma vez perder o curso.

Graças ao acaso e aos imprevistos tive um coleguinha para aulas. Então, assim que confirmado tratei de comprar minhas passagens e reservar o quarto no hotel mais próximo ao Dançata.

Amanhã vocês acompanham um pouco da saga! Fiquem ligados!

Montevideo: Baar Fun Fun

O centenário Baar Fun Fun (pronuncia-se funfum, mesmo) é um dos botecos mais antigos de Montevidéu. Fica num mercado na entrada da Cidade Velha. É daqueles lugares bem turísticos, com diversão garantida. Me atrevo a dizer que ir à cidade uruguai e não visitar este bar é o mesmo que ir ao Rio de Janeiro no carnaval e não ouvir um samba. Uma comparação forçada (risos!), mas que serve como orientação: NÃO DEIXE DE IR! Um ambiente convidativo para ouvir bons tangos ao vivo e apreciar casais de dançarinos!

Porque tanto me agradou? Bem, ele fica localizado em um região bem central, próximo ao Teatro Solis. Como eu e o grupo de amigos de Brasília ficamos em um hotel a dez quadras dali nos aventuramos a ir a pé até lá. Afinal, fazer turístico inclui caminhadas. Não há maneira melhor de conhecer e apreciar um lugar desconhecido.

Foto: Julita Kissa

A faixada do bar engana. Se apenas tivessem me levado na entrada eu diria que jamais teria ali um ambiente tão descolado. Ao entrar a gente se aventura. Um ambiente super apertadinho (leia-se pequeno), cheio de gravuras, quadros, bandeiras de times (passaram os são paulinos e botafoguenses por lá). A iluminação muito me agradou também. Fiquei bastante tempo observando os detalhes. Estes, aliás, construídos ao longo dos anos de atividades. Exatamente como uma decoração deve ser! #minhaopinião

Os dançarinos Federico Garcia e Lorena Gonzalez. Foto: Julita Kissa

Outra coisa que também me agradou foi a sensação de acolhida. Mas pra falar a verdade me senti assim a qualquer lugar que eu visitasse nessa linda cidade, chamada Montevideú. Quanta gente educada e solidária.Não poderia ser diferente no Baar Fun Fun. O garçom (=moço) Marcelo foi muito atencioso comigo. Era só sorrisos. Depois de eu ter dito que tinha um blog sobre tango no Brasil ele ficou ainda mais contente e me mostrou que ali tinha muitas coisas que contavam a história do tango na cidade. Objetos, gravuras, fotos.

Foto: Julita Kissa

Inclusive, nessa busca, descobri que o Carlos Gardel (uruguaio para quem não sabe) fez uma música dedicada ao Baar Fun Fun. Juro, é verdade. Ele era frequentador assíduo do lugar. Deixou uma foto autografada, que está pendurada entre muitos outros quadros. Mas hoje é confudido internacionalmente como porteño, porque foi do outro lado do mar del plata que fez sucesso como cantante de tango. Abaixo, na foto, se você tiver muita atenção encontrará o sorridente Gardel.

A quinta-feira com show de Carlos Pecoy e Lucho Martinez. Foto: Julita Kissa

Agora o não menos importante! As bebidas e comidas! Sim, gente, eu não esqueci de falar sobre isso. Oras, estamos falando de um bar. Não podia faltar os comentários sobre as maravilhas. O Baar Fun Fun é consagrado por uma bebida apelidade de “uvita”. É uma receita antiga, patenteada por eles e somente é encontrada ali. A base é vermute, seja lá o que isso significa. Por esse mesmo motivo me neguei a experimentar porque o garçom (moço) me disse que era uma bebida doce, pra lá de doce. Como de doce eu só gosto em sobremessas passei reto. E quer saber? Me arrependi. O meu amigo jornalista e cineasta, Gustavo Serrate, depois de ler um breve post aqui no blog pediu que eu levasse da viagem a bebida uvita. A super inteligente que vos fala não relacionou o nome a bebida sugerida pelo Marcelo, o garçom. Procurei em todas as vendas da cidade. #faltadecomunicação

Tem também a cerveja Patrícia! Verdade seja dita eu experimentei e não vi nada de diferente porque eu não conheço sobre cervejas e meu paladar não se agrada em degustar essa bebida tão apreciada por muitos. Também pedimos uma tábua de picadas – o que seria o equivalente a uma tábua de frios brasileira, só que mais farta. Tinha queijos de qualidade, salgadinhos, pimentinhas e outras delícias fritas. Resta saber como voltei de viagem quase dois quilos mais magra.Vai ver foi o frio e a comilança sem culpa. #julioensina

A linda mão da minha amiga Inez Ramos. Foto: Julita Kissa

Outra coisa bem interessante de experimentar é a media media. É esse o nome?! Corrijo depois se estiver errado! Um tipo de espumante branco, bem gostoso! Agradou o baladar de muitos. Na foto abaixo, você vê os detalhes da garrafa bem acomodada entre nós. Abstraia os cílios da pessoa em close na esquerda (eu), um exemplo que mesmo entre amigos eu não largo do celular. #víciodemais

Excurssão dos tangueros da cena brasiliense em Montevideú. Foto: Rodrigo Mendes

Nós visitamos o bar numa quinta-feira. De acordo com informações coletadas no site funciona de quarta a sábado, com shows ou atrações especiais. Vale lembrar que não é aceito nenhum tipo de cartão de crédito. No Baar Fun Fun é aceito somente a moeda local, o peso uruguaio. Também sugiro fazer a reserva com antecedência. Pelo site ou por telefone. Não deixe de colocar na lista de lugares para visitar na próxima viagem!!!

Serviço:

Baar Fun Fun – Montevideú.

www.baarfunfun.com

Info@baarfunfun.com

(598)2915-8005

Cuidadela 1229, Mercado Central.

Congresso Balança Brasília

 A primeira edição do Congresso Balança Brasília foi um sucesso de público e já tem data marcada para o próximo ano. Foram mais de 40 profissionais da dança envolvidos no projeto. A iniciativa é dos professores Patica Borges, Júlio Martins, Luciano Cardoso e Israel Szerman.

O Congresso foi idealizado para os  apreciadores do samba de gafieira e zouk. Mas também abriu espaço para outros ritmos, como o tango. No encerramento, apresentações dos profissionais do Congresso. Entre eles, dois casais da cena de tango brasiliense.  Em 2012, o Congresso Balança Brasília será do dia 11 a 14 de outubro. Informações e detalhes podem ser acompanhados na página do evento. Para acessar, clique aqui.

Youtube

Compartilho aqui os vídeos, que estão disponíveis no perfil do blog no Youtube. Isso mesmo! Temos agora um canal inteirinho dedicado a vocês. Espero que gostem e na medida do possível vou trazer novidades em “movimento”.

 

 

 

Astor Piazzolla

Jornal da Globo/ Coluna Nelson Motta

Edição do dia 17/06/2011

Astor Piazzolla revolucionou o tango argentino harmonizando ritmos

Piazzolla gravou 64 discos e maravilhou várias gerações de tangueiros e jazzistas com a dramaticidade e sofisticação de sua música.

 Assim como Tom Jobim modernizou e traduziu o samba brasileiro para o mundo, Astor Piazzolla revolucionou o tango argentino harmonizando a tradição portenha com o jazz e a música clássica. Como Pelé e Maradona, o piano de Jobim e o Bandoneon de Piazzolla reinventaram a música lationamericana e a levaram à consagração internacional.

Filho de italianos, Astor Pantaleon Piazzolla nasceu em Mar del Plata, em 1921, mas passou a infância em Nova York. Nostálgico da música portenha, seu pai lhe deu o seu primeiro bandoneon e Piazzolla conheceu o jazz e a música de Bach. Com 13 anos já tocava tão bem, que foi ouvido por Carlos Gardel e convidado para integrar o seu conjunto em uma turnê pela América do Sul.

O pai de Piazzolla não deixou e salvou-lhe a vida – porque foi nessa turnê que caiu o avião que matou Gardel e seu conjunto. Com 16 anos, Piazzolla voltou para Buenos Aires e logo estava integrando a orquestra de Anibal Troilo, o grande mestre do tango nascido em Santos e que foi a sua grande referência musical.

Para ler a coluna completa e assistir o vídeo, clique aqui