Solte a música

Eu prometi e aqui estou para compartilhar com vocês um pouco da experiência de fazer o curso com Sebastian Arce e Mariana Montes.

O último curso em São Paulo foi em 2009. À época não consegui liberação no trabalho. Alguns amigos daqui de Brasília conseguiram conciliar a agenda profissional, voltaram extasiados. Lessa, Isolda, Cacá, Marcelo, Rodrigo, Cléa, Anna Elisa foram alguns dos que representaram o público tanguero da nossa cidade.

No início deste ano, o casal esteve em Caxias do Sul para participar de um Festival chamado Tango Gaúcho. Não tive oportunidade de comparecer, pois a pouco havia retornado de um congresso de tango realizado em Florianópolis. Haja dinheiro e folga para permitir tanta overdose de tango Brasil afora.

Finalmente, no último minuto do segundo tempo consegui parceiro para fazer as aulas. Acontece que as inscrições eram permitidas apenas para casais. Quem tivesse desacompanhado teria que fazer com um dos bolsistas do Dançata e de quebra, arcar com as despesas.

Não gosto da ideia de pagar para alguém dançar comigo. Nada contra quem contrate profissionais de dança para acompanhar nos bailes. Imagine! Acho que cada um faz o que melhor lhe convém. Por causa disso corri o risco de mais uma vez perder o curso.

Graças ao acaso e aos imprevistos tive um coleguinha para aulas. Então, assim que confirmado tratei de comprar minhas passagens e reservar o quarto no hotel mais próximo ao Dançata.

Amanhã vocês acompanham um pouco da saga! Fiquem ligados!

Anúncios

Montevideo: Baar Fun Fun

O centenário Baar Fun Fun (pronuncia-se funfum, mesmo) é um dos botecos mais antigos de Montevidéu. Fica num mercado na entrada da Cidade Velha. É daqueles lugares bem turísticos, com diversão garantida. Me atrevo a dizer que ir à cidade uruguai e não visitar este bar é o mesmo que ir ao Rio de Janeiro no carnaval e não ouvir um samba. Uma comparação forçada (risos!), mas que serve como orientação: NÃO DEIXE DE IR! Um ambiente convidativo para ouvir bons tangos ao vivo e apreciar casais de dançarinos!

Porque tanto me agradou? Bem, ele fica localizado em um região bem central, próximo ao Teatro Solis. Como eu e o grupo de amigos de Brasília ficamos em um hotel a dez quadras dali nos aventuramos a ir a pé até lá. Afinal, fazer turístico inclui caminhadas. Não há maneira melhor de conhecer e apreciar um lugar desconhecido.

Foto: Julita Kissa

A faixada do bar engana. Se apenas tivessem me levado na entrada eu diria que jamais teria ali um ambiente tão descolado. Ao entrar a gente se aventura. Um ambiente super apertadinho (leia-se pequeno), cheio de gravuras, quadros, bandeiras de times (passaram os são paulinos e botafoguenses por lá). A iluminação muito me agradou também. Fiquei bastante tempo observando os detalhes. Estes, aliás, construídos ao longo dos anos de atividades. Exatamente como uma decoração deve ser! #minhaopinião

Os dançarinos Federico Garcia e Lorena Gonzalez. Foto: Julita Kissa

Outra coisa que também me agradou foi a sensação de acolhida. Mas pra falar a verdade me senti assim a qualquer lugar que eu visitasse nessa linda cidade, chamada Montevideú. Quanta gente educada e solidária.Não poderia ser diferente no Baar Fun Fun. O garçom (=moço) Marcelo foi muito atencioso comigo. Era só sorrisos. Depois de eu ter dito que tinha um blog sobre tango no Brasil ele ficou ainda mais contente e me mostrou que ali tinha muitas coisas que contavam a história do tango na cidade. Objetos, gravuras, fotos.

Foto: Julita Kissa

Inclusive, nessa busca, descobri que o Carlos Gardel (uruguaio para quem não sabe) fez uma música dedicada ao Baar Fun Fun. Juro, é verdade. Ele era frequentador assíduo do lugar. Deixou uma foto autografada, que está pendurada entre muitos outros quadros. Mas hoje é confudido internacionalmente como porteño, porque foi do outro lado do mar del plata que fez sucesso como cantante de tango. Abaixo, na foto, se você tiver muita atenção encontrará o sorridente Gardel.

A quinta-feira com show de Carlos Pecoy e Lucho Martinez. Foto: Julita Kissa

Agora o não menos importante! As bebidas e comidas! Sim, gente, eu não esqueci de falar sobre isso. Oras, estamos falando de um bar. Não podia faltar os comentários sobre as maravilhas. O Baar Fun Fun é consagrado por uma bebida apelidade de “uvita”. É uma receita antiga, patenteada por eles e somente é encontrada ali. A base é vermute, seja lá o que isso significa. Por esse mesmo motivo me neguei a experimentar porque o garçom (moço) me disse que era uma bebida doce, pra lá de doce. Como de doce eu só gosto em sobremessas passei reto. E quer saber? Me arrependi. O meu amigo jornalista e cineasta, Gustavo Serrate, depois de ler um breve post aqui no blog pediu que eu levasse da viagem a bebida uvita. A super inteligente que vos fala não relacionou o nome a bebida sugerida pelo Marcelo, o garçom. Procurei em todas as vendas da cidade. #faltadecomunicação

Tem também a cerveja Patrícia! Verdade seja dita eu experimentei e não vi nada de diferente porque eu não conheço sobre cervejas e meu paladar não se agrada em degustar essa bebida tão apreciada por muitos. Também pedimos uma tábua de picadas – o que seria o equivalente a uma tábua de frios brasileira, só que mais farta. Tinha queijos de qualidade, salgadinhos, pimentinhas e outras delícias fritas. Resta saber como voltei de viagem quase dois quilos mais magra.Vai ver foi o frio e a comilança sem culpa. #julioensina

A linda mão da minha amiga Inez Ramos. Foto: Julita Kissa

Outra coisa bem interessante de experimentar é a media media. É esse o nome?! Corrijo depois se estiver errado! Um tipo de espumante branco, bem gostoso! Agradou o baladar de muitos. Na foto abaixo, você vê os detalhes da garrafa bem acomodada entre nós. Abstraia os cílios da pessoa em close na esquerda (eu), um exemplo que mesmo entre amigos eu não largo do celular. #víciodemais

Excurssão dos tangueros da cena brasiliense em Montevideú. Foto: Rodrigo Mendes

Nós visitamos o bar numa quinta-feira. De acordo com informações coletadas no site funciona de quarta a sábado, com shows ou atrações especiais. Vale lembrar que não é aceito nenhum tipo de cartão de crédito. No Baar Fun Fun é aceito somente a moeda local, o peso uruguaio. Também sugiro fazer a reserva com antecedência. Pelo site ou por telefone. Não deixe de colocar na lista de lugares para visitar na próxima viagem!!!

Serviço:

Baar Fun Fun – Montevideú.

www.baarfunfun.com

Info@baarfunfun.com

(598)2915-8005

Cuidadela 1229, Mercado Central.

Protetor para o metatarso

Não se preocupem. O blog ainda não possui patrocinadores, mas acho justo compartilhar com vocês aquilo que achei interesse e útil. Outro dia conversando com uma amiga do tango verifiquei que não sou a única a ter os pés calejados. Nunca fiz ballet clássico apesar de ser um sonho cativo, mas os meus pés são tão feios ( leia-se judiados) quantos de uma bailarina. Aí veio a pergunta: será que existe algo para protegê-los além do improvisado curativo?? A resposta é simples e cheia de esperança por aspectos melhores. Sim, existe! Olha que interessante esse protetor para o metatarso. Eu tenho calos nessa região. Infelizmente ainda não aprendi a distribuir o peso do corpo de forma uniforme e acabo sobrecarregando essa àrea. Isso serve também para aquele sapato de tango lindo, mas que não ficou muito confortável. Além deste existe no mercado palmilhas, protetores de silicone para os dedos, calcanhares e muito mais. Vou procurar na Capezzio e depois de experimentar comento com vocês. E aí, gostaram da dica??? 20110902-012037.jpg

Aula pela internet…

O casal Mariana Montes y Sebastian Arce estão com novo projeto: aulas pela internet.  Assista abaixo teaser muito interessante gravado  para divulgar a nova atividade.Visitem a página Tango Meet e façam o cadastro para assistir as aulas online. Para acessar clique aqui

 

No Rio…

Celebração Musical a Astor Piazzolla e Carlos Gardel

Crédito: Sérgio Bondioni

Considerado um dos melhores grupos de tango do Brasil, o LiberTango faz apresentação única no Teatro Carlos Gomes a R$ 1,00 na próxima terça-feira, 02/08, às 19h, dentro do Projeto Sete em Ponto. É uma oportunidade imperdível de conhecer de perto o talento do quarteto que há 15 anos divulgam o ritmo portenho em terras brasileiras, com destaque para a obra de Astor Piazzolla.

O show é inspirado no terceiro CD, “Porteño” (Delira, 2010), e apresenta clássicos inesquecíveis de Carlos Gardel como “El Día que me Quieras” (parceria com Alfredo Le Pera e Juan Carlos Calderon), “Por una Cabeza” (com Alfredo Le Pera) e “Mano a Mano” (com José Razzano e Celedonio Flores).

Já o repertório instrumental destaca as quatro estações de Piazzolla, “Primavera Porteña”, “Verano Porteño”, “Otoño Porteño” e “Invierno Porteño”. Outro sucesso revisitado do compositor argentino é “Adiós Nonino”. A qualidade e a criatividade dos arranjos – assinados pelos irmãos Marcelo Caldi (acordeão) e Alexandre Caldi (saxofone e flautas), integrantes do grupo – demostram a vitalidade do espírito tangueiro na cultura brasileira.

Os irmãos instrumentistas são filhos de uma outra integrante do LiberTango, a pianista argentina Estela Caldi, radicada no Brasil. Do quarteto faz parte ainda o cantor Marcelo Rodolfo. O show terá participação do contrabaixista Rodrigo Villa. Além de “Porteño”, foram lançados “Cierra tus Ojos y Escucha” (Delira, 2008) e “A Música de Astor Piazzolla” (Delira, 2005).

É a chance do público reviver um ritmo recheado de magia, paixão, nostalgia, força e exuberância. Dentre as principais apresentações do grupo, destacam-se: quatro temporadas na Sala Baden Powell (Copacabana), Festival do Vale do Café (Vassouras), Festival de Inverno de Petrópolis, Festival de Inverno do SESC (Itaipava), Goyaz Festival (Goiânia), Mistura Fina (Rio de Janeiro), SESCs de Copacabana (Rio Cello Encounter), do Flamengo e de Araraquara (SP), Festival de Música de Câmara de Curitiba, Ciclo Música de Câmara da Sociedade Musical Bachiana Brasileira (Cuiabá), Circuito SESI Rio de Janeiro e Lapinha (Rio de Janeiro).

Serviço:

Show do Grupo LiberTango

02/08, às 19h
Teatro Carlos Gomes
Praça Tiradentes, s/n, Centro
Rio de Janeiro – RJ
Ingressos a R$ 1,00
Informações: (21) 2232-8701

No Rio: diálogo musical entre Brasil e Argentina

Uma série de concertos mensais, que terá início nesta terça-feira (26), vai promover até novembro, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro, o diálogo musical entre o Brasil e a Argentina. Reunindo em cada uma das apresentações instrumentistas e cantores dos dois países, a sérieMPAeB pretende mostrar que há similaridades nessas duas fortes linguagens musicais da América do Sul.

A iniciativa partiu do músico carioca Mário Sève e da cantora e letrista portenha Cecilia Stanzione. Conectados pela internet, os dois desenvolveram a partir de junho de 2008 uma fértil parceria, que resultou em 13 canções que formam o repertório do concerto de abertura da série. Em Cancion Necessaria – Brasil y Argentina, Cecilia (voz) e Mario (sax, flauta e arranjos) estarão acompanhados de uma banda formada por músicos dos dois países. O encontro também marca o lançamento do CD que registra 11 das canções produzidas pela dupla.

“O tango, o choro, a modinha e as valsas respiram de uma maneira muito parecida na música brasileira e na argentina”, diz Sève, também curador da série. “A partir do trabalho conjunto que iniciamos, comecei a conhecer um universo ligado à música folclórica argentina e Cecilia um pouco mais das raízes do samba brasileiro.”

Segundo Sève, os concertos não vão enfocar somente o tango, que é essencialmente a música de Buenos Aires. “Em outras partes do país, você tem uma variedade musical muito interessante, que mistura a influência europeia com uma cultura nativa e que resultou em gêneros como a chacarera, o zamba e o chamamé.”

O segundo concerto da série, Tango Y Tango Brasileiro, no dia 23 de agosto, vai reunir o tango e o choro, que no início do século 20 era chamado de “tango brasileiro”. “Era essa a denominação que traziam as partituras das músicas de Ernesto Nazareth, um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos, mas o tango brasileiro nada mais é do que um choro”, diz Sève.

Nesse concerto, vão se apresentar duas lendas do tango argentino, o bandeonista Walter Ríos e o contrabaixista Oscar Giunta, juntamente com o pianista brasileiro Cristóvão Bastos, tocando um repertório que vai misturar Nazareth com Carlos Gardel.

Os concertos seguintes serão Folclore com K, no dia 27 de setembro, com o pianista argentino Carlos Aguirre e o brasileiro Benjamin Taubkin Trio, de São Paulo, e MPA y MPB, reunindo o grupo Aca Seca, do país vizinho e o cantor e violonista mineiro Sergio Santos, no dia 25 de outubro. Encerrando a série, La Zamba y o Samba, no dia 22 de novembro, terá o grupo carioca Nó em Pingo D’Água se apresentando com os argentinos Hernán Ríos e Norbi Córdoba.

Cada concerto terá duas apresentações, às 12h30 e às 19h, com ingressos a R$ 6 (inteira) e R$ 3 (para estudantes e maiores de 60 anos). Segundo Sève, a ideia é levar depois a série para outras cidades brasileiras e também para Buenos Aires.

Crédito: odiario.com

La Glorieta…

Se você estiver com planos de viajar a Buenos Aires não deixe de prestigiar as milongas. São mais de 500. Por isso, indico hoje uma em particular por ser em ambiente aberto e atemporal.

A milonga Bien de Abajo, na Glorieta, em Barrancas de Belgrano, é um lugar único.  A estrutura é toda de ferro e com teto em forma de pagoda. Esteve fechado por um bom tempo para reformas e hoje (23) foi reaberto.

Antigamente, este “palco” que abriga a milonga era utilizado por orquestras. A milonga é gratuita e aberta ao público. Antes do baile você pode participar de aulas. Os professores passam o chapéu e você paga o que achar justo. Ocorre sempre aos sábados e domingos, das 20h às 23h.

Não é lindo?