Montevideo: Baar Fun Fun

O centenário Baar Fun Fun (pronuncia-se funfum, mesmo) é um dos botecos mais antigos de Montevidéu. Fica num mercado na entrada da Cidade Velha. É daqueles lugares bem turísticos, com diversão garantida. Me atrevo a dizer que ir à cidade uruguai e não visitar este bar é o mesmo que ir ao Rio de Janeiro no carnaval e não ouvir um samba. Uma comparação forçada (risos!), mas que serve como orientação: NÃO DEIXE DE IR! Um ambiente convidativo para ouvir bons tangos ao vivo e apreciar casais de dançarinos!

Porque tanto me agradou? Bem, ele fica localizado em um região bem central, próximo ao Teatro Solis. Como eu e o grupo de amigos de Brasília ficamos em um hotel a dez quadras dali nos aventuramos a ir a pé até lá. Afinal, fazer turístico inclui caminhadas. Não há maneira melhor de conhecer e apreciar um lugar desconhecido.

Foto: Julita Kissa

A faixada do bar engana. Se apenas tivessem me levado na entrada eu diria que jamais teria ali um ambiente tão descolado. Ao entrar a gente se aventura. Um ambiente super apertadinho (leia-se pequeno), cheio de gravuras, quadros, bandeiras de times (passaram os são paulinos e botafoguenses por lá). A iluminação muito me agradou também. Fiquei bastante tempo observando os detalhes. Estes, aliás, construídos ao longo dos anos de atividades. Exatamente como uma decoração deve ser! #minhaopinião

Os dançarinos Federico Garcia e Lorena Gonzalez. Foto: Julita Kissa

Outra coisa que também me agradou foi a sensação de acolhida. Mas pra falar a verdade me senti assim a qualquer lugar que eu visitasse nessa linda cidade, chamada Montevideú. Quanta gente educada e solidária.Não poderia ser diferente no Baar Fun Fun. O garçom (=moço) Marcelo foi muito atencioso comigo. Era só sorrisos. Depois de eu ter dito que tinha um blog sobre tango no Brasil ele ficou ainda mais contente e me mostrou que ali tinha muitas coisas que contavam a história do tango na cidade. Objetos, gravuras, fotos.

Foto: Julita Kissa

Inclusive, nessa busca, descobri que o Carlos Gardel (uruguaio para quem não sabe) fez uma música dedicada ao Baar Fun Fun. Juro, é verdade. Ele era frequentador assíduo do lugar. Deixou uma foto autografada, que está pendurada entre muitos outros quadros. Mas hoje é confudido internacionalmente como porteño, porque foi do outro lado do mar del plata que fez sucesso como cantante de tango. Abaixo, na foto, se você tiver muita atenção encontrará o sorridente Gardel.

A quinta-feira com show de Carlos Pecoy e Lucho Martinez. Foto: Julita Kissa

Agora o não menos importante! As bebidas e comidas! Sim, gente, eu não esqueci de falar sobre isso. Oras, estamos falando de um bar. Não podia faltar os comentários sobre as maravilhas. O Baar Fun Fun é consagrado por uma bebida apelidade de “uvita”. É uma receita antiga, patenteada por eles e somente é encontrada ali. A base é vermute, seja lá o que isso significa. Por esse mesmo motivo me neguei a experimentar porque o garçom (moço) me disse que era uma bebida doce, pra lá de doce. Como de doce eu só gosto em sobremessas passei reto. E quer saber? Me arrependi. O meu amigo jornalista e cineasta, Gustavo Serrate, depois de ler um breve post aqui no blog pediu que eu levasse da viagem a bebida uvita. A super inteligente que vos fala não relacionou o nome a bebida sugerida pelo Marcelo, o garçom. Procurei em todas as vendas da cidade. #faltadecomunicação

Tem também a cerveja Patrícia! Verdade seja dita eu experimentei e não vi nada de diferente porque eu não conheço sobre cervejas e meu paladar não se agrada em degustar essa bebida tão apreciada por muitos. Também pedimos uma tábua de picadas – o que seria o equivalente a uma tábua de frios brasileira, só que mais farta. Tinha queijos de qualidade, salgadinhos, pimentinhas e outras delícias fritas. Resta saber como voltei de viagem quase dois quilos mais magra.Vai ver foi o frio e a comilança sem culpa. #julioensina

A linda mão da minha amiga Inez Ramos. Foto: Julita Kissa

Outra coisa bem interessante de experimentar é a media media. É esse o nome?! Corrijo depois se estiver errado! Um tipo de espumante branco, bem gostoso! Agradou o baladar de muitos. Na foto abaixo, você vê os detalhes da garrafa bem acomodada entre nós. Abstraia os cílios da pessoa em close na esquerda (eu), um exemplo que mesmo entre amigos eu não largo do celular. #víciodemais

Excurssão dos tangueros da cena brasiliense em Montevideú. Foto: Rodrigo Mendes

Nós visitamos o bar numa quinta-feira. De acordo com informações coletadas no site funciona de quarta a sábado, com shows ou atrações especiais. Vale lembrar que não é aceito nenhum tipo de cartão de crédito. No Baar Fun Fun é aceito somente a moeda local, o peso uruguaio. Também sugiro fazer a reserva com antecedência. Pelo site ou por telefone. Não deixe de colocar na lista de lugares para visitar na próxima viagem!!!

Serviço:

Baar Fun Fun – Montevideú.

www.baarfunfun.com

Info@baarfunfun.com

(598)2915-8005

Cuidadela 1229, Mercado Central.

Gramofone

Sintuoso, elegante e raro. Difícil encontrar um gramofone bem conservado e que ainda funcione. Em alguns sites de comercialização online ainda é possível encontrar essas riquezas.

De passagem por Montevideo, encontramos um simpático senhor em uma feira de antiguidades. Lá, fiquei encantada com o gramofone. Muito gentilmente ele me mostrou que o aparelho estava em bom estado de conservação. Entusiasta, me antecipou ao dizer “pode gravar”. Tirou as palavras da minha boca, pensei. Aquele barulhinho de vitrola é especial. Por isso, fiz o registro e compartilho com vocês. Espero que também apreciem.

História

O termo gramaphone deriva-se do nome da fábrica que produzia o aparelho, a Gramophone Company, fundada em 1887 pelo alemão Emile Berliner. A empresa foi uma das mais importantes pela comercialização de discos. Já em 1931, a companhia se associou à Columbia Phonograph. Hoje é consagrada como uma das maiores empresas fonográficas de todos os tempos, a EMI (Eletric & Music Industries).

O apelido em inglês do gramofone, grammy, deu origem para o nome do prêmio musical Grammy Awards. Inclusive, o prêmio é uma pequena réplica do tocador de discos. Vocês já tinham reparado?

Diário de viagem: Montevideo

Chegamos no sete de setembro a Montevideo. Alguns dos que aderiram a viagem, se cantaram pela cidade também cercada pelo “Rio de Plata”. A excursão organizada para o público de Brasília tem o propósito de mostrar que só Buenos Aires oferece tango de qualidade. Neste nomento estamos no Bar FunFun curtindo clássicos do tango na voz de Carlos Pecoy. A cidade está linda! Aos poucos compartilho com vocês as novidades. Um beijo!

20110907-235627.jpg

Viagem para Montevideo…

Gente!
Com muita felicidade compartilho o trabalho e carinho de três queridos homens. A ideia partiu de um, que nascido em terras uruguais, encontrou apoio de um goiano do quadrado e outro do Goiás.

Falando sério! O Julio Ayala, junto com o Oscar Ricarte e Rodrigo Mendes apresentam a viagem para Montevideo. Quer os detalhes? Tome nota!
Clica no cartaz que ela amplia.

Viagem a Montevideo - uruguai

São 3 pagamentos de R$ 600,00 no cheque. A começar no dia 1º de Agosto, 1º Setembro e o último no dia 1º outubro. No primeiro pagamento será cobrada a a taxa de U$ 78,00.