Para levantar da cadeira…

Tenho uma confissão. Sempre achei lindo milonga, mas toda vez que me chamavam para dançar eu travava por puro medo de errar. E o resultado, claro, era o erro. Por ser mais “rapidinho”, como costumo dizer, eu sempre perdia o tempo dos passos e dos adornos.

Só quando fui pela primeira vez a Buenos Aires é que esse medo acabou. Fui a uma milonga bem tradicional e o organizador, para minha surpresa, me convidou a dançar. Adivinhem o quê? Milonga. Apreensiva aceitei e disse que eu sempre ficava nervosa na hora de dançar milonga, mas que achava muito gostoso de ouvir.

O organizador, que é professor de tango e se chama Oscar disse: ” Não se preocupe. Deixe o corpo pulsar. Logo você se entregará a milonga e vai dançar sorrindo, sem tensão. Por pura diversão”.

Então, expresso aqui o meu sincero obrigado. Foi ótimo dançar com ele a antes “temida” milonga e tantas outras tandas. A partir dali o medo acabou e o sorriso largo me toma.

Exemplo bem fiel do prazer de dançar uma milonga é expressa nesse vídeo. Assistam. Além da afinidade e entrozamento, vejam como eles se divertem!

O organizador se chamar Oscar é pura coinscidência. Risos!